amore a prima vista (volpini italiani e altro)

4 mag 2015

EXPO

EXPO,  vamos ver o que vai sobrar da "Carta de Milão", a ideia é excelente, tudo esta a ver se sairá  do papel. Todos os visitadores da exposição podem assinar este manifesto, traduzido em 19 línguas, será entregue em outubro ao secretario da ONU, Ban Kimoon. Os que assinarem estão de acordo a sensibilizar a população mundial ao direito de todos, a uma alimentação sadia e segura. Os entusiastas definiram esta "Carta" um protocolo de Kyoto da alimentação. Muito bem até que queremos viver no mundo das fabulas, porém do protocolo de Kyoto, a maioria dos países fazem confetes de carnaval. Na realidade não existe nada de mais impossível, uma população com crescimento exponencial, que precisa para viver de agua e alimento, quando esta de barriga cheia necessita de produtos industrializados (começando pela televisão, celular, automóvel), poderá viver nos 510.072.000 Km2 do nosso planeta, sendo que a maioria são oceanos? Nossa pequena experiência de brasileiros demonstra o que aconteceu nos últimos 500 anos, graças a descoberta de Cabral...... Até os anos '70 a população não chegava a 100.000.000, em 40 anos mais que dobramos. Sem duvida maus governos não ajudaram um correto desenvolvimento, porém não vão descer anjos para nos sustentar no futuro. BASTA de bobagem, de conversa fiada, o futuro se não baixar um esclarecimento geral vai estar nas mãos dos mais fortes, todos os outros miseráveis ou carne para canhoes.
EXPO, vamos falar um pouquinho do que observamos desta manifestação. Sabiam que as cadeiras do restaurante do pavilhão Brasil são ideadas por diferentes artistas e as luminárias são realizadas pelos indígenas Yawanawà? Não podíamos esquecer dos Romanos.... A avenida principal no Expo se chama "Decumano", em recordação a estrada que corria em direção leste oeste nas cidades romanas. O Pavilhão Zero é dividido em doze locais que contam o progresso: a passagem da pescadores e agricultores, a sociedade "desenvolvida", consumista,  e o desperdiço que  acompanha este caminho moderno. O interessante é que a rica Suíça parece a mais preocupada com a escassez: dentro do seu pavilhão estão quatro enormes silos com alimentos, o visitador poder pegar o que quiser, sabendo porém que se não tiver consciência dos demais, os que vierem depois estarão com as mãos vazias....